Histórico


Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis
 Twitter - perfil do Blog


 
Quando Ela Rola


Será o fim do leva e traz?

O Palmeiras sempre foi conhecido por ser um clube “fatiado”. Isso porque, seu conselho administrativo é constituído por famílias, ou seja, cada uma briga pelo seu bem. Sempre acontecem muitas confusões, alguém quer aparecer mais que o outro, no entanto, um ato inesperado parece ter colocado fim a essa “guerra fria”.

Wesley é o sonho de consumo da diretoria para esta temporada. O ex-santista, atualmente do Werder Bremen da Alemanha, já está no Brasil, fez exames médicos pelo Palmeiras e aguarda apenas a definição da forma de pagamento para ser anunciado como novo reforço alviverde.

Mas é exatamente esse impasse para encontrar um investidor e efetuar o pagamento de sua compra que está emperrando o desfecho. A equipe alemã só aceita vender 100% dos direitos de Wesley por 6 milhões de euros, valor que o Palmeiras acordou em três parcelas anuais de 2 milhões. A garantia para as duas parcelas posteriores o clube paulista já tem, mas o investidor para o pagamento da primeira quantia estava difícil de encontrar. Porém, está próximo de ser confirmado.

A ajuda para os vencimentos futuros veio de uma maneira um tanto quanto inusitada. Luiz Gonzaga Belluzzo, ex-presidente palmeirense, conseguiu a garantia bancaria para tal valor, com isso os pagamentos dos próximos anos estão garantidos, ficando a cargo do Palmeiras a primeira parcela, que em poucos dias pode aparecer e fazer de Wesley oficialmente jogador do verdão.

Nada de estranho em um ex-presidente ajudar o clube, se não fosse o fato de ser rival da atual diretoria. Arnaldo Tirone, atual presidente alviverde, é de uma chapa diferente de Belluzzo e uma ajuda vinda de um “inimigo”, no passado seria prontamente negada. Mas parece que as coisas estão mudando, pelo menos esse foi o primeiro passo para isso. Afinal, todos têm que lutar pelo mesmo ideal e objetivo, o Palmeiras. De que adianta brigar internamente se o bem maior está sendo prejudicado.

A vida é assim, uma mão lava a outra. Que essa mentalidade comece a caminhar e aparecer internamente no Palmeiras, pois ele será o maior beneficiado. A união faz a força, é assim que se vence.

Franco Junior

lfrancojunior@gmail.com

 



Escrito por Franco Junior às 13h09
[] [envie esta mensagem] [ ]



É Luxemburgo, tchê!

Como previsto, Vanderlei Luxemburgo foi anunciado como o novo treinador do Grêmio. A informação já era dada como certa na última segunda-feira (20), no entanto, como é de praxe no futebol, ambas as partes desmentiram a notícia para despistar o possível acerto.

 

Pela primeira vez na carreira, Luxemburgo vai trabalhar em um clube do Rio Grande do Sul. Esse novo desafio pode ser o combustível que faltava para o treinador readquirir a vontade e a gana pela vitória. As quais há algum tempo não as tinha.

Em questão de qualidade, é obvio que Luxemburgo é um ótimo nome para o comando. Mas seu histórico recente, não diz o mesmo. Desde 2004, o treinador só ganha campeonatos estaduais. Não que isso seja ruim. Mas para quem tem um salário como o de Vanderlei, isso é um mau negócio.

O Grêmio não ganha nada em âmbito nacional desde 2001. Na época venceu o próprio Luxemburgo, então no Corinthians, na final da Copa do Brasil. Já Vanderlei, não vence campeonatos nacionais desde 2003, quando foi Campeão Brasileiro, pelo Santos.

Qualidade para que dê certo, o elenco do Grêmio tem de sobra. Mas para que a contratação de Luxemburgo vingue, não depende só disso. O sucesso gremista terá que unir a força de seus jogadores e a volta da vontade de Luxemburgo. Se esse resgate for feito, a equipe gaúcha tem tudo para sair do papel e brilhar nos gramados.

Franco Junior

lfrancojunior@gmail.com



Escrito por Franco Junior às 15h08
[] [envie esta mensagem] [ ]



Caio Júnior caí e Luxa pode surgir

Após apenas oito jogos no comando do Grêmio, o técnico Caio Júnior foi demitido no início da tarde desta segunda-feira (20), pela diretoria do clube. A decisão foi tomada devido aos resultados não surgirem como a cúpula gremista esperava e, depois de apenas 45 dias como treinador, Caio foi dispensado.

Muito se esperava do Grêmio nesse início de temporada, isso porque, a diretoria abriu os cofres e contratou jogadores de nome e muita qualidade. Kleber, o gladiador (ex-Palmeiras), e Marcelo Moreno (ex-Cruzeiro) são alguns deles, que mesmo com todo o histórico de ótimos jogadores, não “ajudaram” o comandante, causando sua demissão.

Como sempre escrevo em textos direcionados a demissões e quedas de treinadores, mais uma vez questiono: “A culpa realmente é do técnico, ou muito disso é devido aos jogadores não corresponderem?”. Em minha opinião, a maior parcela de responsabilidade são dos jogadores, que com salários abusivos e todas as regalias possíveis, não dão o retorno esperado dentro de campo.

Caio Júnior não cometeu erros grotescos, isso no meu modo de ver. Ele escalou sempre os melhores, deu liberdade para que eles jogassem e no fim das contas, ele é quem foi o responsabilizado pelo time não vingar.

Não concordo com sua demissão, e sou um fã declarado do trabalho do Caio. Ele não reclama sobre reforços, trabalha com o que tem, não gosta de regalias e o mais importante: dá a cara pra bater quando preciso. Assim foi em sua passagem pelo Palmeiras em 2007, quando o mesmo, sem jogadores de nome, sem respaldo algum da diretoria, sem apoio da torcida, “descobriu” um tal de Valdivia, um tal de Pierre, um tal de Wendel, entre outros, que se tornaram jogadores fundamentais para o clube e são ídolos da torcida.

Acredito muito em “conversas de bastidor”, digo isso pelo fato de Luxemburgo estar desempregado. Sempre quando isso ocorre, seu nome é ventilado por todos os clubes. Foi assim em sua chegada ao Palmeiras em 2008, quando o então técnico era o mesmo Caio Jr, no Atlético-MG, em 2010, no Flamengo, também em 2010, e agora está acontecendo no Grêmio, que está muito próximo de anunciar Luxa como novo comandante.

Como disse na postagem que dizia sobre sua demissão do Flamengo, repito agora: Luxemburgo está vivendo no meio futebolístico apenas por seu passado e seu status. Ele já não é mais o mesmo treinador de fora em outras épocas e nem tem mais a mesma vontade de “dar a cara pra bater”. Seu grande defeito ultimamente é transferir suas responsabilidades para o elenco, ao invés de assumir sua parcela de culpa.

Caio Júnior foi mais uma vez injustiçado e encerrou hoje sua passagem pelo Grêmio, que a qualquer momento pode anunciar Vanderlei Luxemburgo como novo treinador. Sorte ao Caio, que consiga arrumar um novo clube para treinar o mais breve possível, e que Luxa mostre que ainda é capaz, como um dia já foi.

Franco Junior

lfrancojunior@gmail.com



Escrito por Franco Junior às 17h31
[] [envie esta mensagem] [ ]




[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]