Histórico


Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis
 Twitter - perfil do Blog


 
Quando Ela Rola


Palmeiras x Corinthians no UFC: mais rivalidade, por quê? 

Nos últimos meses, muito se fala sobre o UFC. A competição é o ponto máximo em que um lutador de MMA (em português: artes marcial mistas) pode alcançar, podendo então, conquistar o tão almejado título de Campeão Mundial, na modalidade.

 

O Brasil é a país do futebol, e até mesmo por isso, os clubes arrumaram um “jeitinho” de, de certa forma, também atrair o torcedor para o esporte. O primeiro a fazer isso foi o Corinthians, contratando o maior nome da modalidade Anderson Silva, ou “Spider” como é conhecido mundialmente, para representar suas cores. Depois disso veio o Flamengo, na contratação de José Aldo, e o Internacional, com Minotauro.

Para não ficar atrás, os rivais desses clubes também resolveram entrar na dança, mas estão fazendo isso de uma forma nada proveitosa. O Palmeiras, maior rival do Corinthians no futebol, ao ter a primeira oportunidade “apadrinhou” também um lutador de UFC. Quem é ele? O maior rival de Anderson Silva: Chael Sonnen.

O americano é conhecido por ser provocador, e em uma das oportunidades que teve de abrir o bico, não perdeu tempo e chegou a falar mal do Brasil. Mesmo assim, assumiu o papel de palmeirense e agora vemos a torcida do time paulista torcendo contra o “Spider”. Ou seja, brasileiros torcendo contra um brasileiro.

Isso já aconteceu uma vez, no UFC Rio, realizado no dia 14 de janeiro, na HSBC Arena, no Rio de Janeiro. José Aldo representa as cores do Flamengo, e na ocasião defendia o cinturão de campeão dos pesos pena contra Chad Mendes. Para criar rivalidade, o Vasco enviou camisas do time para Mendes, que, entrou na provocação e se disse vascaíno. Com isso, na competição, vimos torcedores do clube da colina, torcendo contra Aldo.

Na minha opinião, isso é uma vergonha! O Brasil tem sempre que torcer para o Brasil. Me revolta ver alguém dizendo que odeia a seleção brasileira, que torce para Argentina, Espanha, Portugal, etc., não pelo fato de serem esses países, mas sim, por não dar valor no que temos em nosso país.

Agora, com essa idéia de rivalidade também no UFC, onde iremos parar? Se já é tão perigoso ir a um estádio de futebol assistir um Palmeiras x Corinthians, agora também teremos que conviver com isso em um esporte que era para unir os brasileiros em uma só torcida?

“Ahh, mas ele representa o Corinthians!”, e daí? Inteligentes são os dirigentes corintianos por apostarem no esporte e acreditarem no lutador. Eles merecem os parabéns, isso sim, por darem suporte e estrutura para os treinamentos. E o Palmeiras, o que está fazendo pelo Sonnen? A resposta é: nada. Só está entrando em uma onda que pode acabar gerando mais rivalidade e brigas de torcida, já que em junho os desafetos Anderson Silva e Chael Sonnen se enfrentam, no Brasil.

Franco Junior

lfojunior@gmail.com



Escrito por Franco Junior às 16h44
[] [envie esta mensagem] [ ]



Empate na raça

A Libertadores começou para o Corinthians, e a estreia foi bem ao estilo que o torcedor mais gosta: como Corinthians. Isso porque, após estar perdendo desde o primeiro tempo, a equipe não desistiu, continuou lutando, com garra e vontade e foi recompensada no final com um gol de Ralf, no último lance de jogo. Pura emoção.

É claro que o torcedor espera muito mais da equipe na competição, no entanto, a vontade de conquistar o resultado é o que mais importa para a torcida corintiana.

Muito se esperava dessa estreia, ainda mais depois de ter jogado tão bem no clássico contra o São Paulo, no último domingo. Mas Libertadores é diferente, Libertadores é raça, vontade, determinação. Tudo o que o Corinthians tem de sobra.

É preciso ter cautela e paciência na competição sul-americana, nunca se pode achar que já venceu, ou que um adversário é muito inferior. Libertadores prova a cada ano que não importa só um bom elenco para vencer, o espírito guerreiro tem que estar presente.

E foi exatamente isso que o Corinthians mostrou neste seu primeiro jogo pelo campeonato continental. A Libertadores é o maior sonho do Corinthians, e com esse espírito e um pouco mais de sorte e competência para não tomar gols bobos como o que sofreu hoje, o timão tem grandes chances de vencer e levar pra casa a única taça que falta para a sua sala de troféus.

Franco Junior

lfrancojunior@gmail.com



Escrito por Franco Junior às 00h10
[] [envie esta mensagem] [ ]



Isso sim é marketing 

No fim do ano passado, o Corinthians anunciou a contratação do chinês Zhi-Zhao, no entanto, o jogador só conseguiu obter o visto para viajar e atuar em solo brasileiro, na tarde da última terça-feira (14) e chegará ao Brasil nos próximos dias.

 

O investimento é visto como estratégia de marketing, para que o clube consiga fama também fora do Brasil, e como a China é um dos maiores países do mundo, contratar uma jovem promessa foi o caminho encontrado.

Aos 23 anos Zhi-Zhao é visto como uma aposta que ao mesmo tempo é um risco de vexame, também pode alcançar o objetivo pensado: reconhecimento internacional.

O certo é que a venda de camisas acontecerá na China, e por se tratar de um jogador que mesmo com pouca idade já é visto com bons olhos pelos chineses, poderá expandir os horizontes corintianos.

Para fazer com que a estratégia dê ainda mais certo, o departamento de marketing do Corinthians utilizou um modo muito inteligente. Como a pronúncia Zhi-Zhao ficaria complicada para cair no vocabulário popular, o chinês “mudará” o seu nome para um outro muito conhecido mundialmente: o apelido do craque francês Zinedine Zidade, “Zizou”. Isso foi uma mera coincidência, pelo fato da utilização da sequência da letra “Z” em seu sobrenome composto, porém, se o objetivo é vender camisas e se tornar conhecido, a escolha foi pontual.

Se o chinês Zhi-Zhao, ou “Zizou”, como será chamado aqui, dará certo como jogador do Corinthians, eu não sei, mas que o marketing corintiano merece muitas palmas, isso sim. Inteligência pura! 

Franco Junior

lfrancojunior@gmail.com



Escrito por Franco Junior às 10h18
[] [envie esta mensagem] [ ]



O atacante esperado

Após muitas tentativas, finalmente o Palmeiras acertou na contratação de um atacante: o argentino Hernán Barcos. A equipe paulista já utilizou vários jogadores na posição, mas a verdade é que desde a saída de Alex Mineiro, no final de 2008, o verdão não tinha um “fazedor de gols”.

Neste sábado (11), o argentino realizou o seu segundo jogo com a camisa palmeirense, na vitória sobre o Ituano (3x0). O centro avante marcou um gol e mostrou vontade de jogar, além de dar belos passes e ser um jogador “de time”, que faz a sua função no ataque muito bem e quando preciso, volta para a marcação.

Hernán Barcos

Sem muita badalação, o Palmeiras contratou o argentino Barcos por algo em torno de 4 milhões de dólares, junto a LDU, do Equador.

Em apenas dois jogos com a camisa palmeirense, “El pirata”, como é conhecido, já mostrou ser o atacante que a torcida há muito tempo sonha: belo passe, bom posicionamento, jogador de grupo, finaliza bem, ou seja, tem as qualidades que um bom camisa 9 precisa.

No caso de Barcos, a camisa usada é a 29, mas a qualidade em campo e os requisitos são todos de um matador, que além de colocar a bola na rede, tem muita visão de jogo.

Com certeza o argentino já conquistou a sua titularidade e se firmará ainda mais com a camisa do Palmeiras. Bela contratação, que faz do time do Palestra Itália um dos candidatos ao título.

Franco Junior

lfrancojunior@gmail.com

 

 



Escrito por Franco Junior às 11h39
[] [envie esta mensagem] [ ]




[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]